terça-feira, 21 de abril de 2015

A experiência do CLIP e das associações da Alta de Lisboa nas sessões DLBC


Apontamento de Patricia Rosa (Caixa de Mitos - DLBC Lx)


VI Encontro de Associações de Base Local da Alta de Lisboa

Abril 2015
O CLIP – “conjunto de 21 entidades – públicas, empresas e da sociedade civil – que se constituíram numa associação que tem como missão fortalecer de forma participada a ação de pessoas individuais ou coletivas que promovam o desenvolvimento local. A iniciativa tem um foco territorial na Alta de Lisboa, mas tem potencial de abrangência alargado a toda a cidade e concelhos limítrofes.”
Na sequência do VI Encontro de Associações de Base Local da Alta de Lisboa aproveitou para esclarecer o modelo de financiamento europeu DLBC – Desenvolvimento de Base Local Urbano às associações locais.
O Clip aproveitou o momento para recolher mais fotos para descobrir as prioridades que a comunidade indica para a sua plataforma de partilha de recursos.
A receção não poderia ser melhor incluindo um buffet de pequeno-almoço/ cofe break excecional na qualidade J  (infelizmente não há foto)
Antes de entrar na sala os “curiosos” foram convidados a partilhar as suas expectativas, numa atividade dinamizada pela FOS
Com uma audiência alta para um sábado de manhã que desafiava para uma praia, ou outra atividade em que o sol fosse o rei, as respostas demoraram a ser preenchidas…mas com a sessão a decorrer os resultados foram aparecendo…
Com a oradora Irene Pinto ausente em recuperação física L o Plenário foi iniciado com a contextualização da Apeal seguida dos esclarecimentos proporcionados pelo Cedru, na presença de Sérgio Barroso fez a ponte entre os DLBC e o território da Alta de Lisboa, salientado algumas oportunidades e vantagens em conhecer e integrar o processo de rejuvenescimento comunitário que o Portugal 2020 representa.
A encerrar este primeiro momento de trabalhos, esteve o Pedro Grilo em representação da Junta de Freguesia do Lumiar.
A segunda fase deste encontro passou à fase de grupos de trabalho em lógica rotativa. Cada grupo de trabalho era dinamizado por um parceiro e quais as questões e/ou reflexões sobre as questões propostas.
Grupo de Trabalho 1 – O que são os DLBC, perguntas frequentes – Cedru – Sérgio Barroso
Grupo de Trabalho 2 – A estratégia DLBC de Lisboa - Rede DLBC Lisboa - Associação para o Desenvolvimento Local de Base Comunitária de Lisboa – Rui Franco
Grupo de Trabalho 3 – DLBC e o Território – CLIP – FOS – Ana Filipa Flores
Cada Grupo tinha 20 minutos para refletir e o grupo 2 e 3 tiveram a preciosa ajuda do CLIP para registar as suas observações. Apesar da resistência que cada grupo fazia nos momentos de mudança, porque nestas alturas 20 minutos voam, foram reuniões bastante produtivas.
As fotografia recolhidas enquanto parte do trabalho desenvolvido são também expressivas das reflexões e analises efetuadas. Momentos de esclarecimento com dúvidas, questões e soluções refletidas em conjunto
Após o necessário break mas sempre em registo acelerado, afinal uma manhã de sábado é pouco tempo para tanta questão, incerteza e vontade em melhorar a sua comunidade alguns participantes aproveitaram para completar a Wall de expectativas que foi analisada em conjunto, ainda antes do encerramento dos trabalhos.
E assim chegou ao fim de um sábado de trabalho conjunto em que se ouviu com atenção o resumo dos seus trabalho que a Fundação Aga Khan realizou durante as 9 reuniões realizadas
No final ficam os rascunhos da reflexão conjunta e mais questões que irão ser resolvidas em método colaborativo e quem sabe mais projetos que aos poucos vão combatendo a pobreza e melhorando a qualidade de vida dos seus territórios e de todos os que se cruzam.

Sem comentários:

Publicar um comentário