quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Participar fazendo a diferença!


Voz do Local. Fazendo bem as contas, é no local que está o ganho! Se uma Escola como o ISEG, que lida com finanças como padeiro lida com farinha, aposta tanto na proximidade e nas oportunidades locais para desenvolver a sua missão educativa com sucesso, então parem as calculadoras, o assunto está resolvido. E com uma vantagem, desta forma  continuará a ser possível ver o mundo a 360º (CR). A opinião de Filomena Ferreira.

Como disse o Papa Francisco "...educar é uma missão importante que aproxima tantos jovens do bem, do belo e do verdadeiro"
A principal missão de uma instituição de ensino é ensinar, formar e investigar. Na Escola centenária e pioneira em economia e gestão, situada na Rua do Quelhas nº6, num Convento do séc XVI, totalmente renovado e preservado, cumprimos à risca a missão de formar academicamente os nossos alunos, preparando-os da melhor forma para os desafios da vida activa.


Formar incutindo valores éticos
Mas como consideramos que para essa formação ser completa também é nosso dever lhes incutir princípios e valores éticos, morais e sociais. Queremos que se tornem não somente profissionais de excelência mas igualmente adultos ética e socialmente responsáveis e para tal abrimos também as portas à comunidade acolhendo diversas iniciativas culturais e sociais.

Cidadãos participativos
Os jovens aqui olham e vêem a sociedade a 360 graus! Olham em frente e à sua volta, perspectivando alcançar realização profissional e pessoal, pela aprendizagem e aquisição de ferramentas para a vida futura. Mas os nossos jovens querem e merecem muito mais, por isso lhes proporcionamos oportunidades de conhecerem melhor a realidade que os rodeia, de se revelarem cidadãos participativos e encontrarem outras formas de olhar as várias problemáticas sociais.

Não podemos cruzar os braços
O retrato da sociedade portuguesa tem vindo a sofrer profundas alterações. As taxas de desemprego não param de crescer e com elas as taxas de empobrecimento, de  criminalidade e de corrupção. Não temos a veleidade de reverter essa tendência de um dia para o outro, mas não podemos cruzar os braços e nada fazer. Temos a obrigação de colocar o conhecimento ao serviço da construção da sociedade que queremos para nós e para as gerações futuras. Hoje estamos perante jovens estudantes, amanhã eles serão profissionais, pais e, sobretudo, exemplo para os mais novos.

Acções dentro e fora da escola
A nossa acção é essencialmente local e que faz parte do quotidiano de uma instituição situada no coração de Lisboa, numa freguesia bastante heterogénea! Dentro da escola, com programas de formação em desenvolvimento pessoal, com projectos de alunos para alunos, de mentoria e de explicações, ou com a organização e promoção de fóruns de debate com o objectivo de alertar para temas preocupantes da sociedade actual. Fora da escola, com grupos de voluntários em instituições da freguesia cujas carências foram previamente identificadas e que são inúmeras e com o programa intensivo e regular de acompanhamento escolar promovido pela JBC – Junior Business Consulting do ISEG, integrado no Programa de Apoio ao Sucesso Escolar da Junta de Freguesia da Estrela junto das crianças e jovens da freguesia.

Formação dos técnicos da freguesia
Outro excelente exemplo de preocupação social por parte da nossa Escola foi a criação do GOEC – Gabinete de Orientação ao Endividamento dos Consumidores em 2006 que surgiu de uma iniciativa conjunta entre a Direcção-Geral do Consumidor e o ISEG com o objetivo de informar os consumidores em matéria de crédito e gestão do orçamento familiar. A nossa atuação prima pelo cuidado no atendimento e isenção, na medida em que se pretende encontrar para cada agregado familiar a melhor situação preservando a total liberdade de escolha por parte do utente, em relação às instituições financeiras com quem se relaciona. Procuramos também informar e educar em matérias de natureza financeira nomeadamente gestão do orçamento familiar, gestão do crédito e aplicação das poupanças e acreditamos que muito temos contribuido para atenuar o impacto do sobreendividamento e da crise económica nos agregados familiares. O GOEC prestou formação aos técnicos da freguesia onde estamos inseridos para que possam usar o nosso método com os moradores que se encontram em situações de sobreendividamento.

Dar a volta em tempos de crise profunda
Agindo localmente, contribuímos para melhorar o bem estar de quem precisa, quer nas questões mais básicas de sobrevivência, bens alimentares ou combate à solidão dos mais idosos, quer nas questões de auto-estima e capacitação profissional dos mais jovens e menos jovens desempregados, procurando evitar que entrem por caminhos tortuosos, muitos deles sem retorno.
Desta forma estamos convictos que preparamos melhor os nossos jovens alunos para a vida adulta, profissionais e pessoas de carácter, capazes de dar a volta em tempos de crise profunda, numa sociedade deprimida e frequentemente descrente.

Filomena Ferreira
Assessora Relações Publicas e Internacionais ISEG
Universidade de Lisboa

Sem comentários:

Publicar um comentário